Acordei Triste

cronicas

ACORDEI TRISTE…

Acordei triste, o dia parecia menos vivo, o sol mais frio, as coisas à volta estavam sem a mesma graça de sempre… Ela não estava ali… Chorou, falou, não gritou, mas pensou, não tinha espaço, local, horário… vontade não faltou! Ela calou, desligou! Aí tudo no fim começou… tristeza, pra quê? Chorar, por quê? Gritar, o quê? Ela não sabia, nem ele… Criou-se o nada… o vazio… o sentido sempre tão presente desapareceu… Quem escondeu? Será que foi ela? Pode ter sido ele? Ou será que fui eu?… Brigou com quem? Ninguém?… Loucura, paixão, aventura, mentira?… Verdade?  Sentimento ou vaidade?… Falava-se do quê? De amor… não! De dor… talvez… Dor de vida, dor de dor, sentida, profunda, desgastada, ou será que estava ferida? Perguntou, perguntei, ela disse: — o que você quer? Gostar ou amar? Uma especial ou uma qualquer? Uma que seja menina… ou uma que se faça mulher?… Mulher atraente, envolvente, que sabe o que quer… Aparece de repente… entontece, aquece, transforma coração frio em coração quente… Ela é assim… faz a vida ter um sentido… pra ela, pra ele, e pra mim… Me agrada, envolve, a tudo transforma… A dor em amor… Água fria em água morna… Não, morna não… quando esquenta, desperta um vulcão… Vulcão forte, não há quem suporte… muda curso de rio, coloca o sul no norte… Ela é assim uma flor… Repete que eu gosto.., Mas parece um beija-flor… onde toca é logo amada… Isso eu aposto… Sentimento, lindo… fazendo, indo, dizendo… a fala mansa, meiga, quase sussurrando, gostosa em qualquer momento… Querendo, ficando a espera do certo… Estando sempre por perto… No universo do tempo, se chega, a tudo cala… Chegou a fada… voando, pairando, levitando, sem pó de pir-lim-pim-pim… Quando tiver que voar, avisa… Cuidado… vou colocar a rede… pra pegar você pra mim… Vou guardar num vidrinho… de cristal, bem fininho… ficar olhando, fitando seus olhinhos curiosos… olhando assim, pensando … que louco de pedra… me prendeu pra que? Eu não posso mais voar… Será não poderei mais amar… Por certo… Cuidado se cair quebra… me deixa pegar um pouco… guardar no coração… mas solto… Se chorar eu solto… nada de tristeza… Peguei pra ver de perto tua beleza… aprender, cultivar… pra poder distribuir, incentivar, mostrar pro ser humano, que ainda existe gente que sabe amar… Não sei se é gente pura… sei que tem fada na mistura, mas tudo na medida certa… Ela é maravilhosa… Abra o olho pois é muito esperta… Consegue dobrar a todos, com o jeito de boneca… mas às vezes vale a pena deixa ela levar… Não queira saber pra onde… Quem sabe ela te leva pra algum ponto no horizonte… um ponto de luz… Curte o momento e se ajeita… Finge que ta dormindo… De vez em quando, espreita… se você tiver sorte, ela te leva pra fantasia, pro amor, pra sensibilidade, sentimento… Pra felicidade da fábrica onde ela foi feita.
eros kamadeva***
eros kamadeva

Eros kamadeva

Eros Kamadeva, estudioso e praticante dos oráculos há 35 anos participante de vários grupos de estudos ocultistas, esotéricos e de magia, membro de ordens e fraternidades, participante de feiras e congressos esotéricos e místicos. Participou de vários grupos de estudos e palestras na área dos mistérios profundos envolvendo temas místicos, esotéricos, filosóficos, além de trabalhos na área de curas a distância através da energização e controle da mente.